Follow by Email

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Plano Diretor de Transporte e Mobilidade Urbana e Rural para Vassouras Já!

          Urge se promover a criação de um Sistema Estrutural Integrado (SEI) de Transportes e mobilidade urbana e rural, de forma a reduzir a falta de uma infraestrutura no setor, visto ser quase que inexistente.                   Todos os dias nos deparamos com pessoas apontando a falta de estrutura no serviço de transporte urbano e rural, assim como de mobilidade.  Se vê vários agrupamentos em situação de isolamento, em função da falta de um  Plano de Mobilidade integrativo de todos os recantos de Vassouras. 
       Se faz necessário uma maior integração do Sistema de Transportes, onde haja a melhoria da infraestrutura da malha viária existente e a criação de novas malhas viárias e outros tipos de transportes alternativos, de forma a contemplar até mesmo o mais recôndito dos lugares, pois Vassouras atualmente só conta com um tipo de transporte público que circula nos limites da cidade, se  fazendo necessário o investimento em sua reestruturação e a implantação de diferentes modais (carros, ônibus, carris, trem, bicicleta, motocicleta, teleférico, Veiculo Leve sobre Trilhos, Monotrilhos e até mesmo  pequenas embarcações ou barcos para atender alguns poucos insulares, de forma a se evitar acidentes com pequenas embarcações como já ocorreu, levando a óbito seus ocupantes).
           
                                         Modelo de Parada de ônibus utilizadas em São Paulo


                  Novo ônibus da Volvo para linhas pouco utilizadas, oferece conforto e segurança




                                                                         Trólebus 


Veiculo Leve sobre Trilhos - VLT
              


         "Embarcação movida a energia solar 
O protótipo, desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)" - Portal do MEC. 
                     (Algumas modalidades de transporte - as fotos   estão referenciadas abaixo)

                 A   questão da mobilidade passa pela construção de vias paralelas as Rodovias que cortam o município de forma a que se tenha calçada ligando o município de uma ponta a outra, inclusive com a construção de Ciclovias e passagem subterrâneas ou mergulhões a pelo menos 200 m entre uma e outra, principalmente em todo o trecho cortado pela RJ 393, visto o grande número de acidentes (atropelamentos) ocorridos na mesma. Aos moldes do Mergulhão de Duque de Caxias ou semelhante a da imagem abaixo.

                                            Vereador quer construção de passagem subterrânea próxima a UNIVIX
                                                      http://maxdamata.com.br/?p=2315
               Será um grande ganho para a cidade e principalmente para os crescentes Bairros que cortam a cidade. 

                  A questão da Mobilidade perpassa ainda pela reconstrução de calçadas em acordo com as necessidades dos cadeirantes entre outros, pois a inexistência de calçadas é uma constante, assim como calçadas totalmente em desacordo com a legislação. 
                     Não dá mais para esperar Implantação do Plano Diretor de Transportes e Mobilidade Já e Participativo. O povo precisa apontar suas necessidades e onde realmente as coisas não estão funcionando. 

Referencias Utilizadas:




segunda-feira, 8 de outubro de 2012


Primeiro de Janeiro e a Festa da Posse

Depois de  muita espera ontem vereadores e prefeito reeleito tomaram posse. A sessão solene contou com grande concorrência pública, afinal é um momento importante para o que acontecerá na cidade nos próximos quatro anos.
A posse e escolha do novo presidente da Câmara se deu em um clima calmo sem autoridades, a não ser as locais. O momento de grande ovação foi quando do anúncio da eleição da Vereadora Rosi Farias para ocupar no primeiro ano a vaga de Presidente da Câmara Municipal de Vassouras, fato inédito de termos uma mulher ocupando pela primeira vez tal cargo.
A Direção da Câmara está assim composta:
Presidente Vereadora Rosi Farias
Vice Presidente   Vereador Pedro Paulo Simplício
1ª Secretaria Vereadora Greice de Medeiros
2º Secretário Vereador Sergio
Tanto as palavras da Vereadora Rosi quanto do Prefeito e da Vice - Prefeita foram de chamar o povo a uma maior participação na condução da cidade. Além de reafirmarem a continuação dos projetos já realizados e buscarem formas de cumprirem as determinações do Projeto Político.



Eleições e a posição do cidadão frente à colocação de Políticos em atividades no cenário Estadual e Federal.

"Os princípios mais importantes podem e devem ser inflexíveis." - Abraham Lincoln

Falta ética e principalmente moral a esses políticos de mandato, que foram votados para representar e defender os interesses do Estado e não para atender a interesses de determinados grupos que os manterá futuramente no poder, pois serão excelentes cabos eleitorais em seus redutos, alias essa colocação já denegri qualquer imagem, pois mostra não haver uma preocupação com o todo para o qual deveria estar voltado, mas sim uma visão de grupo fechado, trazendo junto a imagem de que o meu interesse sou eu e meu grupo e não os da Nação.
Ora quando um Governador chega e afirma que "Espero que ele seja reeleito e que possamos trabalhar juntos por Vassouras nos próximos dois anos". O que se pode perceber, e esta sendo mostrado são haver aí interesses não revelados, mas do conhecimento de todos, que o interesse dele não é realizar o trabalho para o qual foi eleito de dirigir o Estado, mas sim de manter um 'grupo' no poder, esquecendo-se que foi eleito para cuidar dos interesses do Estado e não desse ou daquele município onde o prefeito é parceiro. E é por essas e outras que vemos alguns municípios viverem a míngua de recursos oriundos do Poder Estadual e Federal. Aí devemos nos perguntar onde está a ética e a moral política desses cidadãos? Será que foram suplantados por seus interesses pessoais de sucesso a custa e sacrifício do povo?
E levando em conta que ao aceitarem tal auxílio e/ou apoio os valores morais e éticos recebidos de seus lideres será repetido aí vem outra pergunta! – Aqueles que não comungaram na mesma cartilha, que optaram por apoiar a outros candidatos, como por exemplo, uma determinada comunidade onde a grande maioria dos votos foi para o concorrente ficará a míngua?
E pensando que nos últimos anos a ética vem perdendo cada vez mais valor e levam as pessoas a total descrença no sistema político vigente, aí quando se escuta a colocação acima vinda de um governador é que a descrença cresce. 
Assegurar a conduta da organização dentro da visão do conceito exposto é a garantia de estarmos perante empresa com elevada responsabilidade social.
E na obra de Saint Clair Nickelle "Ética na Sociedade Atual" se pode entender um pouco mais sobre a questão da ética na política quando o autor aponta que:O desencontro entre ética e a política pode ser observado na facilidade com que a mentira impera na vida pública. Para o cidadão que busca o decoro e a compostura dos comportamentos dos seus representantes, dizer a verdade é um imperativo. A presença de práticas e comportamentos transgressores dos valores e normas no comportamento dos políticos colabora para o desaparecimento do respeito à lei e as regras da sociedade. Precisamos urgentemente educarmo-nos para proteger a verdade na política. Não é evidente que a ilusão e a mentira dominem totalmente o espaço do poder. Os políticos precisam compreender que a sociedade valoriza a verdade. Ela é a base da confiança,alicerce da vida em comum.Os políticos precisam aprender que a mentira é um ingrediente ruim para a vida pública. E o que se pode perceber na leitura de todo o trabalho de Nickelle é haver uma grande distância entre a prática e a ação quando o ponto é seguir os princípios éticos e morais. Hora quando os exemplos que o povo recebe são os que se vê no cenário político atual fica difícil o povo também não querer se dar bem, afinal o exemplo é de prosperidade.
Mais não é se vendendo por um saco de tijolo, uma cesta básica e/ou até mesmo por cinqüenta reais no dia da eleição que a situação irá se reverter. Pois isso facilita a que grupos não comprometidos realmente com o progresso da Nação pensem em agir de forma correta. Pelo contrário esses grupos voltados para interesses outros acabam usando o povo como massa de manobra, que se vende por migalhas para conseguir seu intento. Pelo contrário agindo dessa forma cada vez mais o povo vem sendo dilapidado de seus direitos.
E nessas eleições os interesses pessoas de determinados grupos nunca esteve tão explicitamente colocados. Lamentável, principalmente quando se escuta um candidato a Prefeito dizer que a Presidente e o Governador estão com ele e por isso é a única possibilidade de realizações. Oras quando votamos o fizemos para que o eleito e demos poder a uma pessoa a agir em nosso nome o fizemos para que independente de qualquer coisa olhasse por nosso município, pelos interesses gerais da Nação e não pelos interesses de algum grupo determinado.
O que o povo espera e o que é certo é que haja uma parceria incondicional entre os Três Poderes constituídos para o fortalecimento do País como um todo, principalmente levando-se em consideração que somos federados. E não esperamos migalhas queremos ação, trabalho, parceria irrestrita. Independente de denominações políticos partidárias de interesses particulares de pequenos grupelhos. 
E essas ações é que me levam a refletir que se há governo sou contra. Não acredito que precisemos de pessoas que agem de tal forma nos dizendo o que fazer e como fazer. Precisamos é decidir com a cabeça e não com o coração ou o bolso. O momento é de reflexão e cuidado na hora de apertar três teclas que irão selar o destino do município por quatro anos. E de pensar o que é realmente importante para nós enquanto um todo.

Noticias
Projeto de Lei do Orçamento Anual de 2013 do Governo Estadual


"Nada é tão nocivo para os povos do que dar-se por satisfeitos com meras palavras e aparências."
-- François Guizot

Tem noticias que parece deboche, foi anunciado por esses dias o Projeto de Lei do Orçamento Anual de 2013 do Governo Estadual, que estima receitas e fixa as despesas para o próximo ano. Aí venho uma pergunta que não quer calar. Será Sergio Cabral realmente Governador de um Estado com 92 municípios ou somente o Grande Prefeitão da Cidade do Rio de Janeiro. A grande maioria dos municípios vive a míngua de recursos e aí se lê que dos R$ 71,83 bilhões para ser gasto a grande maioria irá ficar na cidade do Rio de Janeiro, para ser investido em transporte como, por exemplo, no Programa Bilhete Único que gera economia financeira para o cidadão. E o cidadão que vive no interior do Estado precisa desembolsar uma nota para poder ir a capital, como fica?
E outra parte irá para a reforma do Complexo do Maracanã (tudo bem estava mesmo precisando de reforma, tudo bem é um símbolo do município do Rio de Janeiro – então por que todos os municípios ficarão mesmo que indiretamente com o ônus dessa e de outras obras que só irão beneficiar o Município do Rio de Janeiro, como por exemplo, que o principal programa do PAC é à implantação do Arco Metropolitano, que atinge somente os municípios da baixada e mais uma vez o do Rio de Janeiro. E nós como ficamos? O Município do Rio ganhará novas linhas metroviárias, os municípios do Interior vem a tempos reenvidicando a volta do sistema ferroviário e nada, não há dinheiro para isso. Aí para amenizar a situação vai aumentar o valor de ajuda as famílias fluminenses que vivem em estado de extrema pobreza, mas que são cabos eleitorais maravilhosos e é muito mais vantajoso continuar dando 'peixe do que dar a linha e o anzol e ensinar o povo a pescar'. Gostaria de ter visto no lançamento orçamentário do próximo amo que finalmente o Barrinha estará de volta de forma a beneficiar a  população da Região Sul Fluminense, trazendo economia para o cidadão que necessita ir a capital e mesmo circular nos diferentes municípios da região. Fazer o que se o Sergio Cabral é o grande PREFEITÃO DO MUNICIPIO DO RIO DE JANEIRO E DEPENDE DA VITÓRIA DO EDUARDO PAZ PARA VITALIZAR SUA CAMPANHA A FUTURO PRESIDENTE DO PAÍS.  

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A Preparação da Campanha Eleitoral


A ACERPROS é uma empresa voltada para o segmento da gestão da informação e nesse sentido entende ser a Gestão da Campanha um dos passos para a obtenção do sucesso esperado em uma campanha eleitoral. Onde a campanha deve ser encarada com uma empresa. Uma empresa de responsabilidade ilimitada e tempo de duração limitado. Sendo montada para se vencer a eleição, com um tempo de duração previsto. Será fechada e baixará o CNPJ assim que o candidato prestar contas aos tribunais, rotina normalmente exercida por especialistas em contabilidade e legislação.
Buscando inspiração em Theodore Levitt, a empresa-campanha tem por objetivo mercadológico “Conquistar e manter eleitores para o candidato ao qual está servindo”. E toda a sua estrutura é montada em torno dessa candidatura, mantendo o comportamento o mais empresarial possível com atitudes como:
  • Obedecer a um organograma.
  • Ter tarefas claras distribuídas entre seus integrantes.
  • Prover-se de recursos para sua manutenção.  
O candidato (tal como o produto), nas eleições proporcionais (para deputados e vereadores) tem que definir sua abordagem e para qual público se destina: Será um candidato de nichos ou votos pingados? Pretende se eleger com os votos dos fiscais da Receita, dos migrantes, dos professores, dos trabalhadores ou definir uma ideologia, uma bandeira?

A Importância das Pesquisas no Planejamento Inicial.

O planejamento empresarial define o comportamento da empresa diante do mercado e todas as suas variáveis. O mesmo processo vale para a empresa eleitoral. Com um planejamento correto, teremos nosso norte definido, saberemos a hora de tomar essa ou aquela atitude, detectamos os pontos fortes e fracos e o mais importante saberemos exatamente os anseios do eleitorado.
A bússola que aponta essa direção é a pesquisa. Portanto, antes de colocar o bloco na rua, com plataforma e bandeiras devemos ter um bom programa de pesquisas quantitativas e qualitativas. E, mais ainda, saber ler os resultados dessas pesquisas.
Em 2000, nas eleições municipais de Goiânia, as pesquisas apontavam para uma direção. Embora satisfeitos com o prefeito que administrava a cidade, mas não concorria à reeleição, todos os eleitores representados nos grupos ouvidos gostariam de ter uma experiência diferente da que vivenciavam com Nion Albernaz (este era o Prefeito à época). Claro que essa informação chegou a todos os comitês e coordenações de marketing, mas somente o candidato Pedro Wilson, por agilidade ou opção, adotou o slogan: “Pedro é diferente”. E agregou a ele o seu discurso e sua plataforma. O resultado não foi outro: Pedro Wilson foi eleito, embora estivesse, no começo do processo eleitoral, em terceiro lugar e distante do franco favorito.

Entradas e Bandeiras: as Plataformas.

Ao definir sua bandeira e se posicionar em um ponto estratégico na entrada do funil eleitoral o candidato diz ao que veio e está pronto para sair em campo em busca de votos.
As plataformas e idéias que serão defendidas, as propostas apresentadas, tudo isso deve estar em coerência com o que foi apontado pelas pesquisas qualitativas e quantitativas.
Surge mais uma vez um paralelo entre o marketing convencional e o eleitoral:
  • O produto pronto e acabado vai para a rua, enfrentar a vontade do consumidor.
  • O candidato vai para a campanha submeter-se à vontade do eleitor.
Começando aí a construção do discurso ou seja, dizer aquilo que precisa ser dito e o que ser ouvido.
O Produto Eleitoral está pronto para ser colocado ao alcance do seu público-alvo.
O Candidato fala, tem passado, tem história e compromissos. Ele não pode, de uma hora para a outra se transmudar em defensor de proprietários rurais para um baluarte do MST. Mudar a linguagem de homem do campo, ligado à produção agrícola e começar a falar o economês dos banqueiros.
Em teoria da comunicação isso tem um nome complicado: dissonância cognitiva. Ou seja, o candidato não é percebido pelo seu eleitorado como aquele ao qual deveria dedicar seus votos. Fica algo de falso no ar. E, diante da ameaça o eleitor procura um porto mais seguro.
Candidatos interessados entrar em contato via e-mail acerpros@gmail.com

Produtos ACERPROS



Manual de Organização e Administração do Lar



Imposto Único Adote Essa Ideia


domingo, 7 de agosto de 2011

Perdas e Ganhos do Festival Vale do Café.

            Mais uma vez aconteceu! Mas será que algo mudou? É uma das muitas perguntas que ficou.

            Ao se conversar com comerciantes locais, se percebe ter sido o ganho econômico muito pequeno. A não ser é claro como sempre para os donos de bares e restaurantes. E mesmo assim, alguns saíram perdendo não por falta de público, mas por não terem acreditado e na sexta feira (show da Mart'nalia) quando ao termino do show, várias foram às pessoas que se dirigiram a Exp. Oswaldo de A. Ramos em busca de um local e pasmem tinha lanchonete e bares fechados, e tirando o Varandas e Mafioso que estão sempre preparados os demais sem mesas suficientes perderam clientela.

            Lamentável para uma cidade que se pretende turística.

            Outro fator é o baixo número de leitos da cidade, segundo informação recebida encontra-se na casa de 200 leitos, isso é nada para uma Cidade Turística (será que é?)

            Em conversa com alguns turistas descobri estarem hospedados em Miguel Pereira, por não terem encontrado acomodações na cidade. Esse é um ponto que precisa com urgência ser revisto.

            E mais uma vez o pouco número de atividades no Palco da Praça foi o motivo de reclamações por parte do povo, que entende dever haver atividades o dia inteiro, pois é um desperdício aquele palco ficar armado e só ter atividades noturnas, com exceção do show da Bia Bedran que é sempre festejado pela criançada com grande alegria. Mas devia haver outras atividades, visto ser em período de férias, o que sem dúvida atrairia muito mais gente para a Praça.

            E há por parte da população o desejo de ter mais shows de apelo popular, como o foram os shows da Mart'nalia e do Ivan Lins por sinal esse último levou um grande número de público a praça, o que vem mostrar o que os moradores esperam realmente do Festival Vale do Café.

            É claro que se deve entender ser o Festival Vale do Café não uma festa da Cidade, mas sim um empreendimento comercial da Backstage, que entende serem as fazendas o maior filão então nada mais justo que invistam nos eventos voltados para as mesmas, no entanto é necessário voltar o olhar também para o público local, pois também é cliente.


Membros Família Imperial Brasileira, Presidente da Câmara Renatinho e sua esposa Damiana e funcionários na abertura da Exposição em foto de Juninho Gama
            Mas o grande mote do Festival no que diz respeito aos Eventos oferecidos ficou por conta da Exposição "A Família Imperial em Vassouras "ocorrida na Câmara dos Vereadores, por iniciativa de seu Presidente o Vereador Renatinho. Até sábado já havia recebido mais de duas mil pessoas, o que mostra o fascínio causado por nossa Família Imperial, mesmo a monarquia tendo sido extinta dando lugar a República, sua história ficou e marcou, o único país do Continente Americano a ter uma Nobreza de fato e de direito na figura de D. Pedro I e seus descendentes, o resto foi só figura decorativa, necessárias para a gestão do Governo Imperial do Brasil.
            E o agrado desse evento demonstra bem o que o turista vem buscar em Vassouras. Um pouco da memória de um período de esplendor, luxo e riqueza, no qual Vassouras era uma dos principais centros irradiadores devido a sua cultura cafeeira.

            E para que isso ocorra é urgente a criação de um Museu da História Local, onde se possa mostrar como viveram os ilustres barões com suas genealogias criadas ao gosto dos senhores barões que faziam questão de esquecer sua origem mestiça, provavelmente para eles uma vergonha. Mas mestiços ou não, negros ou não fizeram de Vassouras com seus cafezais incrustados em um lindo Vale cercado pelo "Mar de Morros em Meia Laranja" verdejante e pungentemente verde (ainda hoje), com um céu azul como nenhum outro. Sem deixar de esquecer a herança negra deixada em Vassouras, que pode ser vista em muitas da manifestação culturais da cidade, sendo uma das principais o fato de ser o berço do samba.

            Mas faltou samba, faltou evento para o Vassourense.

            E conforme Palestra proferida pelo Professor - Escritor José Carlos Tambasco - Vassouras precisa descobrir sua real vocação, pois não há mais como continuar tateando por diferentes caminhos sem chegar a lugar algum, onde o desemprego vai na contra mão do país.

            Mas fica a lembrança proporcionada pelo Evento da Casa da Câmara que de uma forma ou de outra mostrou qual o caminho a seguir.

            E fazendo uma correção a Palestra do Professor Tambasco, nem todo Poder Público está com os olhos fechados para nosso Patrimônio, acha visto o recente trabalho de restauração realizado na Câmara Municipal, a pedido de seu Presidente Renatinho e com o aval de seus pares. O que demonstra haver sempre uma luz ao final do túnel.


segunda-feira, 6 de junho de 2011

Curso: Gestão Parlamentar - Apresentado ao Presidente da Escola do Legislativo.

  Introdução 
    O Curso tem o objetivo de informar e atualizar aos membros do legislativo, tanto vassourense quanto a quem dele queira participar. E a idea pretendia é abrir mais do que um espaço, mas sim um lugar, onde não só aprendam as artes parlamentares, mas também as artes do pensamento filosófico de forma a que possam não só os atuais parlamentares, mais também postulantes a exercerem um dia a tão nobre missão de cuidar dos rumos de uma cidade.






  Apresentação   
     Trabalhar levando em conta qual o tipo de Gestão se pretende, levando em conta a informação vem se tornando, cada vez mais, importante na organização da sociedade contemporânea, dos negócios à ciência, da escola à vida cotidiana: transporte, alimentação, saúde, lazer, direitos, tributos, segurança, turismo - uma lista infindável. Em todas as esferas da vida a humanidade carece mais e mais de conhecimento especializado, para produzir e se desenvolver. Na esfera pública e privada o acesso a informações, analisadas e organizadas, passou a ser exigência estratégica para o sucesso dos negócios e das políticas. Ter informação disponível e trabalhada é vital para a gestão dos negócios, da empresa, da cidade, do Estado. As possibilidades de participação social, de cidadania e, até mesmo da democracia se alicerçam no direito à informação, ao mesmo tempo em que as facilidades trazidas pelas tecnologias da informação permitem avançar em propostas até agora impensadas.

Por que Gestão Parlamentar?
       As exigências da realidade contemporânea criaram demandas por cursos com conteúdos atualizados e flexíveis. Inúmeras iniciativas recentes têm procurado apresentar respostas a estas constatações partindo, principalmente, de instituições de ensino superior e de organizações ligadas ao setor público e privado.
E é neste contexto que se inscreve a criação do curso de Gestão Parlamentar, que pretende se constituir na interface dos saberes das ciências sociais,da tecnologia da informação, do direito legislativo, incorporando e articulando experiências consolidadas em outros campos já tradicionais como: Filosofia, História, Computação, Administração, Economia e Comunicação com aquelas de áreas mais recentes, como as várias disciplinas das Ciências Cognitivas, a Sociologia do Conhecimento e o campo da Gestão Parlamentar é ainda um campo em formação, por sua própria natureza, é interdisciplinar.
 
Objetivos
O curso de Gestão Parlamentar tem como objetivo geral informar e atualizar, o parlamentar e postulantes a serem futuramente parlamentares, de forma a se tornarem não só parlamentares, mais sim parlamentares empreendedores, capazes de compreender não só o papel que representam junto a comunidade que os elegeu, mas sim pessoas que podem trabalhar pela transformação, em um mundo onde a informação e a rapidez com que ela se propaga é a Tonica.
Objetivos Específicos:
  1. Compreender o papel do Gestor Parlamentar na sociedade e para as organizações públicas e privadas.
  2. Saber identificar as necessidades da sociedade civil para a elaboração de projetos, que levem ao desenvolvimento local.
  3. Conhecer as tecnologias da informação e saber empregá-las a favor de sua atuação parlamentar. 4
  4. Compreender os contextos sociais, econômicos e culturais da produção em acordo com a disseminação e uso da informação;
  5. Entender os contextos organizacionais para uma gestão efetiva de sua atuação parlamentar.
  6. Adotar conceitos éticos relativos a sua função e ao uso da informação, considerando sua influência cultural e seu potencial estratégico.
          Principais Atividades Profissionais
O Parlamentar não é um profissional de carreira, ele é sim, uma pessoa eleita para criar leis de forma a tornar possível a gestão de um município, assim como fiscalizar as ações do Poder Executivo no cumprimento dessas mesmas leis.
Mas o parlamentar também tem o papel social de saber ouvir a seus eleitores, e de buscar informações em fontes variadas, para atender necessidades dos diversos tipos de cidadãos que o procuram.
Onde Trabalhar 
A ação parlamentar se dá principalmente no âmbito da Câmara Municipal de onde atua, mas não ficando ai centralizado.
      Mercado
    Como o exercício do parlamentarismo não é profissão, mas há boas perspectivas de se eleger, quando demonstra ter um pensamento voltado para o bem do povo e para a vontade de ajudar o crescimento de seu país.
    E a sociedade passa, atualmente, por transformações muito rápidas, exigindo um grande volume de informações organizadas, que possam contribuir para a solução de problemas daí emergentes, levando ao eleitor procurar votar não mais em interesses paternalistas, mas em pessoas com conhecimento e empreendedoras, que possam realmente fazer a diferença.

Desenvolvimento da Carreira

Possibilidades de crescimento podendo chegar se houver empenho ao cargo Maximo de Presidente da República.
        Desenvolvimento de Habilidades
  • Capacidade de perceber, compreender e analisar as necessidades da sociedade.
  • Habilidade para trabalhar em equipe
  • Facilidade de comunicação com as pessoas
  • Senso de oportunidade
  • Disposição para aprendizagem contínuada
  • Criatividade, flexibilidade e dinamismo

O curso será aplicado em módulos, sendo:
  • Modulo I – Introdutório
  • Modulo II – Básico
  • Modulo III – Intermediário
  • Modulo IV – Final